Nanotecnologia e Concreto Celular! Térmico, Acústico, Ecológico.

Nanotecnologia

Buscando no Infinitamente Pequeno Resultados Infinitamente Maiores

Uma definição básica: Nanotecnologia é a engenharia de sistemas funcionais na escala molecular. Isso abrange tanto o trabalho atual quanto os conceitos mais avançados.

Em seu sentido original, “nanotecnologia” refere-se à capacidade projetada para construir itens de baixo para cima, usando técnicas e ferramentas sendo desenvolvidas nos dias de hoje para produzir produtos completos e de alto desempenho.

A nanotecnologia é um campo da ciência aplicada que desenvolve materiais ou dispositivos em uma escala atômica e molecular com estruturas dimensionadas entre 1 a 100 nanômetros.

1 nanômetro = um milionésimo de milímetro (mil milionésimo de metro). 10 vezes o tamanho de um átomo de hidrogênio, mais leve que uma pequena molécula.

Nesta escala dimensional, o comportamento físico, químico e biológico e as características do material mudam drasticamente, apresentando propriedades surpreendentes com aplicações exclusivas. Isto é exatamente o que as nanotecnologias fazem: explorar a matéria com resoluções superiores a mil milionésimos de um metro até interagir com um único átomo.

Um aspecto muito importante é como as propriedades da área de superfície mudam. Quando comparados com a mesma massa de material em grande volume, os materiais nanométricos têm uma área superficial relativamente maior. Isso pode tornar os materiais mais reativos quimicamente (em alguns casos, os materiais que são inertes em massa passam a ser reativos quando produzidos em sua forma nano-escalar) tendo sua resistência ou propriedades elétricas afetada.

Enquanto a nanotecnologia está se tornando rapidamente a Revolução Industrial do século 21 em campos como computação, suprimentos de energia, medicamentos e os carros que dirigimos. O uso da nanotecnologia na área de proteção de superfície está se tornando uma indústria madura.

Muito parecido com o efeito de lótus em uma folha, a nanotecnologia, através da ligação química em suas superfícies, protege e melhora para que as superfícies permaneçam limpas e protegidas.

Observando a natureza nós aprendemos sobre a sua capacidade de recriar-se até o mais alto nível, ou seja, átomos. Aqui estão alguns exemplos.


Planta de lótus

Graças à estrutura particular das moléculas na superfície de suas pétalas, as gotas de água se acumulam nas folhas da planta de lótus e lavam toda a sujeira. Observando o “efeito de lótus”, novos produtos foram projetados como tintas especiais para exteriores ou texturas impermeáveis.


Cesta de flores de Vênus

É uma pequena esponja, fascinante com uma delicada rede estrutural. Componentes elementares minúsculos do dióxido de silicone (3nm no diâmetro) conectam suas células em camadas finas da bolacha o fazendo capaz de suportar variações significativas na pressão. Esse fenômeno, conhecido como biomineralização, constitui a base da pesquisa de novos materiais, como a porcelana ultra-fina e resistente.

Quando suas dimensões se aproximam de um nanômetro, as partículas adquirem novas propriedades. Sempre. Na natureza e nos laboratórios. Características únicas que podem ser exploradas através de processos especiais.

Isto explica por que a gama de campos potenciais para aplicações é tão vasta: eletrônica, saúde, transportes, energia, pesquisa para novos materiais ultra-leves, de alta resistência, alta classificação térmica ou materiais ambientalmente amigáveis, tratamento de superfícies para têxteis, cerâmicas, metais…